Que Tal um Prêmio Nobel para a Teoria do Design Inteligente ?

Em:10/05/2017 23:13:52

Que Tal um Prêmio Nobel para a Teoria do Design Inteligente ?

Por Evolution News and Views
Traduzido por : Douglas Aleodin

Há uma lógica simples sobre o Prêmio Nobel de Química concedido nesta semana, observada aqui por David Klinghoffer: tentativas humanas na engenharia de moléculas para realizar trabalho, são imitações fracas do que as células vivas têm feito perfeitamente desde que a vida apareceu pela primeira vez na Terra.


 A Academia Real Sueca de Ciências agraciou com o Prêmio Nobel de Química, Jean-Pierre Sauvage (Universidade de Strasbourg, França), Sir J. Fraser Stoddart (Universidade Northwestern, Illinois), e Bernard L. Feringa (Universidade de Groningen, Holanda) por seus trabalhos na criação de máquinas moleculares artificiais. Todos os meios de comunicação têm falado sobre isso, felicitando-os em seu merecido reconhecimento. No entanto, pense em como simples seus designs são até à data:




    • Sauvage em 1983 "ligou dois anéis moleculares".





    • Stoddart, em 1991, "roscou um anel molecular sobre um eixo molecular fino e demonstrou que o anel foi capaz de se mover ao longo do eixo".





    • Feringa em 1999 "conseguiu um rotor molecular que gira continuamente na mesma direção".



 


O trabalho, é claro, não parou por aí. Stoddart usou sua pequena roda e eixo para projetar um pequeno elevador, um "músculo artificial" e um chip de computador baseado em molécula. Feringa construiu um tipo de "nanocarro". É bastante notável  ser capaz de construir e dirigir um dispositivo que é 1000 vezes menor  que o diâmetro de um fio de cabelo humano. Mesmo que ninguém tenha conseguido ainda um  "killer app", o Comitê do Nobel vê um grande potencial nesses passos iniciais:


“Os laureados com o Prêmio Nobel de Química em 2016 tem tomado sistemas moleculares para fora do impasse do equilíbrio e em estados cheio de energia em que os seus movimentos podem ser controlados. Em termos de desenvolvimento, o motor molecular está no mesmo palco que o motor elétrico foi na década de 1830, quando os cientistas exibiram várias manivelas, fiação e rodas, sem saber que eles iriam levar a trens elétricos, máquinas de lavar, ventiladores e processadores de alimentos. Máquinas moleculares provavelmente serão utilizadas no desenvolvimento de coisas, tais como novos materiais, sensores e sistemas de armazenamento de energia. [Ênfase adicionada.]”


Designers destes dispositivos, sem dúvida, usam a inteligência para conseguir que eles funcionem corretamente. Assim, pois, como foi que as máquinas moleculares da vida se originaram? Nada criado pelos vencedores se aproxima da complexidade e eficiência das máquinas moleculares da vida, que continuam a desafiar e fascinar as melhores mentes em Ciência.


O Comitê Nobel Prize perguntou para Bernard Feringa o que o inspirou a trabalhar em máquinas moleculares. Na transcrição do telefonema, o entrevistador Adam Smith perguntou-lhe:


Entrevistador : " Então você descreve seu trabalho como sendo inspirado pela natureza?"


BF: "É claro. Se você olhar para as células do nosso corpo ou o funcionamento do organismo, é algo espantoso. É fantástico ver como esta intrincada máquina funciona. E quando eu estou focando em motores, como nos concentramos em motores, se você olhar para as funções essenciais na célula, como a divisão celular, como o transporte, como fazer seus músculos se moverem, as bactérias que vão para alimentos ou [inaúdivel ... ] está tudo controlado por motores moleculares, e assim os motores biológicos, bem como a maquinaria biológica, é tão crucial para todas essas funções. E é claro obter grande inspiração de que, enquanto nós como químicos somos extremamente bons na construção de todos os tipos de materiais, e é isso que me intrigou.”


 


A comparação é clara: três projetistas humanos de máquinas artificiais foram inspirados pela "fantástica", "espantosa" e "complicada" maquinaria do interior das células de seus próprios corpos. Eles chegaram a dividir um milhão de dólares pela suas construções simples tipo-lego . E o que é que o designer da célula recebe?


 


Em uma palavra, insultos. Como você gostaria que seu melhor trabalho fosse chamado de um produto do acaso cego? Isso é essencialmente o que dois artigos na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências (PNAS), fala quando  considera a origem da ATP Sintase - possivelmente a máquina mais eficiente do universo (veja este vídeo : ATP Sintase ).


No primeiro artigo da PNAS : " Comparação da Biofísica de mecanismos da síntese de ATP mostra uma vantagem cinética para o processo rotativo", quatro pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, basicamente, dizem que o ATP Sintase evoluiu porque a rotação foi mais eficiente. Segue :


“A ATP sintase (F-ATPase) é uma máquina rotativa de alta complexidade que sintetiza ATP, movido por um gradiente eletroquímico de prótons. Por que a evolução selecionou um mecanismo tão elaborado sobre os processos de alternância de acesso, sem dúvida mais simples que podem ser revertidos para realizar a síntese de ATP? Estudamos uma enumeração sistemática de mecanismos alternativos, através de meios numéricos e teóricos. Quando os modelos alternativos são optimizados, sujeitos a restrições termodinâmicas fundamentais, eles não conseguem combinar a capacidade cinética do mecanismo rotativo sobre uma vasta gama de condições, em particular sob condições de baixa energia. Usamos uma solução fisicamente interpretável, de forma fechada para a taxa de estado estacionário para um ciclo de química arbitrária, que esclarece efeitos de quadros cinéticos  complexos e de energia livre. A análise também proporciona perspectivas sobre a debatida "equivalência cinética" da síntese de ATP dirigida pelo pH transmembranar e a diferença de potencial. No geral, nosso estudo sugere que a complexidade da F-ATPase pode ter resultado de seleção positiva para a sua vantagem cinética.”


 


Isto é como dizer que os carros evoluíram de rodas, pneus e amortecedores, porque os faz correr melhor. Sua "enumeração sistemática de mecanismos alternativos" com certeza não incluem causas inteligentes.


O segundo artigo, "Rotação de eixos de rotores artificiais em motores moleculares rotativos",  é ainda mais flagrante em sua negação de design. Nove autores das universidades de Tóquio acharam que foi fácil para um motor rotativo simples se tornar um motor rotativo eficiente por acaso :


“F1 / V1-ATPases são máquinas moleculares sofisticadas que convertem o movimento de um cilindro estator impulsionado por hidrólise da ATP para rotação sequencial de uma proteína do rotor central. Aqui, nós revelamos a rotação de proteínas  de rotores artificiais, compostas por proteínas haste exógenos que não apresentam similaridade de sequência aparente com os eixos nativos. O conjugado estimado pelo rotor artificial no anel de estator V1 era quase idêntico ao da proteína do eixo nativo. Estes resultados demonstram que o princípio do movimento de rotação por estes motores moleculares depende, exclusivamente da interação de granulação grossa entre o rotor e o estator. Estes resultados implicam que o ancestral F1 ou V1 do motor tem evoluído a partir de uma proteína motora mal projetada, de modo mais fácil do que o inicialmente assumido.”


Nada implica nisso. Todo o seu trabalho de laboratório foi inteligentemente concebido; em que base eles podem concluir que algum "antigo ... mal concebido" motor ficou melhor por acaso? Eles oferecem nenhum mecanismo pelo qual isso poderia acontecer, nem mesmo a seleção natural. Em vez disso, eles dizem, "o consenso atual do campo é que as interfaces dos sistemas de motores moleculares têm projetos sofisticados em um nível atômico através da evolução molecular."


No entanto, os princípios de design são os mesmos. Observe o que o artigo de congratulações da Nature diz:


“O trabalho dos ganhadores do Prêmio Nobel – e também de outros químicos - tiveram um impacto sobre a compreensão de outros pesquisadores da natureza, diz Astumian. Em particular, os sistemas artificiais ajudaram a demonstrar que todas as máquinas moleculares quimicamente-motorizadas, quer sejam sintéticas ou biológicas, trabalham de acordo com os mesmos princípios: colhendo seletivamente os jiggles aleatórios de movimento browniano, ao invés de empurrar contra eles.”


A Teoria do Design Inteligente, repetimos, não pode falar acerca da identidade ou natureza do designer. Nosso propósito aqui é desmascarar a inconsistência do pensamento dos materialistas. Eles vão felicitar projetistas humanos de máquinas simples e dar-lhes milhões de dólares por seu trabalho altamente talentoso e inteligente. Mas quando se trata de concessão de crédito para máquinas moleculares de uma sofisticação muito maior, eles dão o prêmio para a "evolução molecular".


======================================


 


Comentário de Douglas Aleodin :


Que belo prêmio Nobel concedido para a Teoria do Design Inteligente. E mais uma vez vindo da Química.

Em 2015, a inferência de design ganhou o prêmio Nobel pela descoberta de mecanismos de reparo de mutações no DNA. Lembre-se, mutações é a matéria-prima do Neo-Darwinismo. Mutações são tão “desejadas” pelo organismo, que há mecanismos de “segurança” contra elas. De todo modo, o prêmio Nobel de 2015 para a Teoria do Design Inteligente, talvez não tenha ficado muito claro para todos. Porém, o de 2016, é claríssimo. Pesquisadores  usaram suas inteligências, suas capacidades preditivas, seus contornos de dead-ends (projetos que levariam ao fracasso), tudo isso e muito mais, para construir máquinas moleculares que estão anos-luz de distância da complexidade e sofisticação das máquinas que existem aos milhões no corpo de todo ser humano (as máquinas da vida são inimaginavelmente mais sofisticadas e complexas). Agora, pensem comigo...se a máquina molecular construída pelos pesquisadores , fosse encontrada por aí...digamos, na natureza... o que neo-darwinistas diriam ? Ora, diriam que a Evolução Molecular fez tal coisa! Os processos estúpidos, cegos, o acaso, a aleatoriedade, enfim, a falta de qualquer inteligência produziu tal máquina! Pode isso?  Pois bem, nós sabemos como máquinas moleculares podem ser feitas : inteligência. E o Prêmio Nobel 2016 de Química demonstra isso. Percebem o inconformismo científico com o pensamento neo-darwiniano? Afinal, conhecemos bem a causa para produzir máquinas moleculares :  inteligência.

Então, por que negá-la?